Quem sou?

Olá!
Se você chegou até aqui é sinal que estou alcançando meu objetivo, que é o de me comunicar com o mundo. Ou pelo menos com alguém que não seja um dos meus seletos amigos.

Você deve estar lendo isso e pensando: “pobre nerd, implorando por atenção”. Em parte é verdade. Sou o que alguns chamam de nerd, mas estou fazendo este blog por uma obrigação moral.



Bem, acho melhor explicar a minha história primeiro, antes que você digite outro endereço mais interessante no seu browser como www.safadinhas.com.

Estava eu, em uma empolgante noite de sábado em frente à TV, aguardando a aparição de algum programa “educacional” na TV convencional(perdi minha assinatura da TV a cabo por pura falta de solidariedade da companhia que por míseros 3 meses de atraso transformaram meu decodificador em peso de papel), enquanto saboreava um delicioso prato de lentilhas transgênicas.

Quando algo, que posso chamar de no mínimo estranho aconteceu: a TV saiu do ar, todos os pelos do meu corpo arrepiaram-se, minhas pernas começaram a tremer - e não era falta de rpg pois havia jogado na noite passada – eu senti o caldo gelado da lentilha sobre minhas partes baixas - não cheguei a comentar que o microondas estava quebrado, não é? Me senti afundando em meu sofá velho, aliás a sensação era outra, senti como se o sofá estivesse me englobando. Senti que meus movimentos ficavam cada vez mais lentos, tentei gritar... Mas o único som que fui capaz de emitir foi o mesmo que se ouve quando um gordo senta numa almofada de couro.

Devo ter apagado por alguns instantes e quando acordei passei incontáveis minutos me olhando sem acreditar. Sentia meu corpo leve e ao mesmo tempo ... acolchoado? Vi também que minha pele havia ficado com a suave tonalidade xadrez em vermelho e preto com algumas listras amarelas de meu sofá.

Foi aí que finalmente me dei conta: eu havia virado um mutante! O sonho de qualquer nerd. Então eu sabia muito bem o que fazer, me preparei a vida toda para aquilo. Eu devia descobrir minhas habilidades e saber no que eu poderia ser útil para a humanidade.

Após alguns dias de estudo – um pouco decepcionado - percebi que meus “poderes” eram limitados porém aproveitáveis com um pouco de imaginação e boa vontade.

Eu agora tinha o poder de ficar indefinidamente parado em uma mesma posição sem me sentir desconfortável com o passar das horas. Afinal agora eu era constituído de molas e um estofado de um sofá antigo, flexível e resistente como não se vê mais hoje em dia. Não preciso comer, beber,ou dormir. Não transpiro ou sinto as tais necessidades fisiológicas.

Em contra partida meus movimentos são limitados. Costumo passar o dia a operar o controle remoto. As vezes, com um pouco de paciência, consigo fazer uma caminhada de 4 horas até a janela e voltando.O que eu poderia fazer para aproveitar este dom que me foi concedido? Qual era a minha missão? Estas perguntas ecoaram em minha cabeça durante muito tempo até que fui iluminado.

Eu deveria usar os meus poderes para sentar em frente a fontes de informação e me manter atualizado sobre tudo que puder. Deveria expor ao mundo aquilo que está nas “ letras miúdas” do que lhe é mostrado via TV, rádio ou Internet. Desmascarar a hipocrisia e a tirania dos meios de comunicação. Percebi que, afinal, meus poderes não eram tão inúteis assim.

Decidi então usar o dinheiro que gastaria com comida para pagar a TV a cabo e pedi também que instalassem a Internet banda larga. Uau, sempre quis fazer esta troca mas cedo ou tarde eu acabaria em um hospital por inanição.

Agora eu deveria assumir um pseudônimo, algo que deixasse clara a minha função na sociedade, causasse medo em meus inimigos, e me protegesse de possíveis processos.

O Homem-sofá!

É isso, modesto e objetivo.

Desde então eu vejo TV, navego na Internet e ouço programas de rádio todos ao mesmo tempo – você se acostuma depois de um tempo. Faço isso dia e noite, incansavelmente. Sei que parece fácil e agradável mas não é tão bom assim. Você não imagina o que se encontra quando se vai a fundo.

Mas agora a população não precisa mais temer. Eu, o homem-sofá estou aqui para defendê-los e mostrar a real face do mal. E é claro reverenciar aqueles que merecem, que tenham algo a acrescentar e se preocupem realmente em transmitir uma mensagem de otimismo e conhecimento. Quem sabe até expor algumas idéias que surgem quando a cabeça está cheia de informação.

Se um dia você estiver de frente para sua TV ou computador e for atacado pela massa de informação inútil e corruptiva que abunda nesses meios, não esqueça: agora você tem com quem contar.

Seu amigo,

Homem-sofá.

8 comentários:

Carla Fabiane disse...

Ai está ele... Demorou mais chegou...

Carla Fabiane disse...

Ache que sou sua. Me tome até na rua. Mostre charmosamente seu porte. Me pegue forte. Acredite na história. Guarde momentos na memória. Diga cafonices. Faça tolices. Desmanche-me. Encaixe-me. Ache que sou seu enfeite. Desbrave-me com deleite. Beba gota a gota desesperadamente. Deixe eu lamber sua mente. Ria das sandices. Esqueça minhas criancices. Ache que sou sua. Me queira sempre nua. Duvide do lá fora. Respire só o agora. Sou sua,não ache. Tenha certeza, me taxe.

Homem-Sofá disse...

Tenho certeza. Assim como tenho de que sou seu. Tudo e de verdade. Te amo.

Tio Rogs disse...

Bem legal! Ganhaste um amigo, por que não? Só não sentarei, ok? Fico na deira ao lado.
E passa pra cá o controle da TV...
abração,

Boa sorte!

Tio Rogs disse...

*cadeira

Homem-Sofá disse...

Opa, tamos aí.
Fico até contente de você escolher a cadeira para se sentar. Esse sofá tem estofado macio mas é pra bundinhas macias e carecas sentarem.
Pode mudar o canal, a essa hora é difícil achar algo que preste.
Abração cara e obrigado novamente.

Vdamato disse...

eu me identifiquei com essa descrição sua homem sofá. fico feliz de saber que não estou só.

Homem-Sofá disse...

Seja sempre bem vindo amigo Damato.
Aqui é a casa dos vigilantes e cidadãos conscientes.
Mas, por acaso, você também é um mutante?

 
© 2009 | O HOMEM-SOFÁ | Por Templates para Você